Dicas para uma volta às aulas mais tranquila. Acredite, é possível!

Volta às aulas
Olá amigas(os), quem tem filhos em idade escolar não tem como fugir muito dessa época do ano.

Afinal, iniciar um novo ano de aulas é um acontecimento singular. É uma mistura de festa, expectativas, ansiedade, preocupação… É o reencontro de colegas, novas amizades, curiosidade sobre os estudos, promessa de estudar mais…

Acho que nessa época muita gente já comprou o material escolar, mas para quem ainda não comprou vai a dica. A diferença de preço do material escolar em São Paulo pode chegar a 163%, segundo o PROCON/SP. Por isso, vale a pena pesquisar preços, negociar prazos e pechinchar o máximo que puder.

Apesar de existirem muitas escolas que providenciam a compra de materiais, pois compram no atacado e em centros comerciais especializados para conseguirem um preço mais atrativo, vale a pena ficar de olho no mercado e no valor que a escola vai cobrar.
Os preços dos produtos podem ter variações consideráveis de um estabelecimento para outro, inclusive por ocasião de descontos especiais e promoções.

Outra forma de economizar é aproveitar o material utilizado no ano anterior, desde que esteja em boas condições de uso. Tipo estojo, apontador, lápis de cor, cola, giz de cera, canetinhas, avental de pintura, entre outros.

Outra dica importante é promover e participar da troca de livros didáticos entre alunos que cursam séries diferentes. Já imaginou organizar no prédio onde mora um mutirão de livros? Defina um dia, peça permissão à administração, cole avisos com data e local no elevador para divulgar. No dia marcado, traga os livros para uma área comum do prédio, os moradores levam os livros que não vão usar mais e realizam a troca. Além de promover a integração dos moradores, você pode garimpar títulos interessantes para seu acervo.
Cinco dicas para facilitar a sua vida na hora de comprar o material escolar, para não gastar além do necessário e já começar o ano no vermelho:

1. Antes de sair às compras, verifique os materiais do ano ou semestre anterior para saber o que você pode reaproveitar.

2. Compre apenas os materiais mais básicos e deixe o restante para comprar no período pós-volta às aulas, pois os preços tendem a cair.

3. É sempre melhor pesquisar antes de comprar, pois os materiais escolares sofrem variação de preço de uma papelaria, ou livraria, para outra.

4. Pesquise também as marcas, pois uma marca menos conhecida pode oferecer materiais tão bons quanto os de marca famosa.

5. Evite levar seu filho para comprar os materiais, pois ele provavelmente vai optar por produtos da “moda”.

O reinício das aulas é marcado por expectativas, sobretudo em relação ao reencontro com os amigos e às novas amizades. A escola também é lugar para alimentar o sonho, motivar para um projeto de vida, criar um ambiente de confiança e respeito às diferenças de cada um.

Quanto ao transporte escolar, é um serviço de transporte coletivo privado com a função de transportar crianças e jovens estudantes de suas casas às escolas. Regulamentado pela lei 10.154/86, tal serviço pode ser uma boa opção em casos onde os pais não podem levar seus filhos ao colégio por falta de tempo ou qualquer outro motivo. Entretanto, devem ser tomados certos cuidados para garantir a segurança e o bem-estar das crianças.

Tanto o veículo como o motorista devem estar credenciados pelo DETRAN. Esse é o primeiro passo a ser tomado na hora de escolher o transporte escolar, visto que existem muitos serviços prestados de forma clandestina. É recomendável também procurar referências na escola e com outros pais em relação a um bom prestador desse tipo de serviço. O transporte escolar é prestado por autônomos, empresas ou escolas. Mesmo se a escola possuir algum tipo de convênio com algum prestador do serviço, os pais não são obrigados a escolher o mesmo, tendo o direito de optar por qualquer outro.

Ao escolher o transporte escolar, é importante verificar todas as condições de higiene dos carros e se o número de cintos de segurança é igual ao número de crianças, evitando que as mesmas sejam transportadas em pé, sem o cinto de segurança ou que o veículo tenha uma lotação maior que a permitida pela Lei. Também é aconselhável obter o endereço e telefone do motorista e estar atento para que tudo o que for combinado esteja escrito em um contrato. No caso de crianças pequenas, o ideal é que sejam transportadas nas cadeirinhas regulamentadas.

Outro aspecto que os pais devem observar é se existe uma pessoa destinada a acompanhar as crianças no trajeto do veículo ao interior da escola e vice versa (da perua à porta de sua casa).

O uniforme escolar é um item que proporciona grande praticidade para os alunos e economia para os pais.

Os uniformes foram criados para simbolizar as cores, o nome, a tradição e o símbolo da escola, desta forma, os alunos uniformizados deveriam manter um comportamento exemplar e zelar pela imagem das instituições, mesmo fora delas.

Atualmente, os uniformes não são tão prestigiados pelos alunos. De fato, essa padronização é importante. Primeiro porque evita que a sala de aula se transforme em um “desfile de modas”. Além disso, seu uso desenvolve nos alunos, um sentimento de pertencimento ao grupo, fundamental no desenvolvimento psicossocial das crianças.

De todos os itens do uniforme, o que requer uma troca mais frequente são as camisetas, o ideal seria trocá-las a cada dia, afinal elas correm, transpiram, sujam com o lanche…

Mantenha a rotina de lavá-las diariamente, no tanque mesmo. Se for somente para remover o suor e sujeiras leves o bom e velho lava roupas resolve, mas se tiver alguma mancha umedeça o tecido, borrife aquele removedor de manchas para roupas coloridas (frasco pink) e fixe o produto com uma camada de sabão de coco. Deixe agir por uma hora, depois é só esfregar para retirar e enxaguar, assim não corre-se o risco de desbotar o bordado com o logo da escola e manchar a camiseta (se for branca). Ah, e na hora de passar a peça, passe a área do logo do avesso, assim não derrete a linha do logo, caso ela seja de poliéster (gruda no ferro quente).

O início das aulas, muitas vezes, é marcado por insegurança em algumas crianças, já que se trata de um momento de mudança onde é normal sentir medo. Porém, lembre-se que não é necessária tanta preocupação assim, uma vez que a situação é tão nova para você, quanto para os colegas e professores.

Para enfrentar a insegurança dos primeiros dias, vale algumas dicas: no primeiro dia de aula chegue mais cedo para ter tempo de se aproximar e conversar com as pessoas; estabeleça um relacionamento com a nova professora desde o início; trate todos os funcionários da escola com educação e respeito. Organize-se também um dia antes: confira se todo o material necessário está dentro da mochila, separe o uniforme, durma mais cedo, tome um café da manhã reforçado.

Para os pequenos, o ideal é que a mãe estabeleça desde o inicio uma parceria sólida com a professora. Respeite o tempo que a criança precisa para se sentir segura com a professora e não ceda à manha da criança (que aparecerá com certeza). Mantenha-se firme, sei que não é fácil ver aquela carinha amada chorando e chamando pela mãe – passei por isso, sei como é -, mas converse com a criança, passe a segurança que você tem na professora a ela, assim ela vai se sentir mais tranquila. Afinal, vamos combinar, é compreensível que a criança faça manha e chore, ela não tem vínculos com aquelas pessoas da escola.

Daí cabe à mãe passar essa tranquilidade à criança, não pode ficar chorando junto com ela, senão já imaginou a mensagem que a mãe passa fazendo isso? A gente pode chorar por dentro, mas não pode externar isso de jeito algum, senão o processo fica mais doloroso.

Se a criança já tem uns três anos, explique das atividades interessantes da escola, que no final do período vai pra casa, dê um beijo e saia, mesmo sob choro. Geralmente nessa idade eles se distraem facilmente com outras coisas, vão se divertir e se esquecem da despedida. É importante informá-los a respeito do que irá acontecer, daí ficam mais tranquilas, conseguindo assim fazer as atividades com a turma.

Claro que criança não é uma receita de bolo, tem dia que está mais manhosa, no outro mais preguiçosa, enfim, o importante é fazê-las sentirem-se sempre seguras. Às vezes a insegurança maior está em nós mesmos, por isso participe sempre das atividades de seu filho, mantenha contato periódico com a coordenadora, professora, e fique sempre atenta ao comportamento de seu filho. Pergunte sobre as atividades desenvolvidas na escola, o que gostou, como foi o desempenho e/ou participação. O diálogo, não é de hoje, parece ser o melhor de todos os instrumentos na educação de nossos filhos.

Beijos e espero tê-los ajudado!!

Fonte: www.brasilescola.com

Comentários

comentários

Powered by Facebook Comments

Tags: , , , , ,



Comentários

Powered by Facebook Comments