Zinco, fique longe de gripes, resfriados e ainda esquente o relacionamento

Olá, com a chegada do inverno e do dia dos namorados, que tal avaliar como anda o nível de Zinco em seu organismo, se anda debilitado, ainda dá tempo de colocar em dia.

A medicina ortomolecular ajuda a medir e encontrar esse equilíbrio, mas na próxima oportunidade falaremos mais a respeito.

Zinco é um elemento mineral que é necessário ao organismo em quantidades muito pequenas, tal como o ferro e outros minerais.

Com as baixas temperaturas do inverno chegando, é sempre bom ter maneiras de prevenir as gripes e resfriados tão comuns nessa época do ano.

O Zinco é um elemento químico imprescindível para a saúde. Ele possui relação direta com células de imunidade, pois ajuda a manter o sistema imunológico sadio, facilita a cicatrização de machucados e recuperação de lesões.

Estudos demonstraram que corredores freqüentemente não consomem a quantidade mínima recomendada deste mineral (15 mg para homens e 12 mg para mulheres).

Podemos encontrar esse mineral em alimentos ricos em proteína como carnes, frango e peixe.

A falta de Zinco no organismo torna os cabelos e unhas quebradiços, e a pele com tendência a acne.

Além de acelerar a cura de lesões, o Zinco aumenta a fertilidade e a libido entre homens e mulheres.

Também é útil em casos de osteoporose, problemas gerais no intestino, e ainda promove a saúde dos cabelos e unhas.

Este mineral é tão poderoso, que também está presente na composição do protetor solar, pois possui a capacidade de bloquear os raios solares.

Pesquisas indicam que os vegetarianos absorvem menores porções de Zinco, pois os alimentos naturais possuem uma quantia reduzida deste mineral.

Grão de bico, sementes de abóbora, tâmaras, ervilha, laranjas, castanhas do Pará, batatas, tomate cereja, figo e agrião são alguns exemplos de produtos de origem vegetal, que contém Zinco e, se ingeridos com freqüência tendem a proteger o sistema imunológico.

Alimentos ricos em Zinco

Alimento (100 gramas) mg medida caseira Peso (g)
Ostra 50 1 porção 50
Fígado de vitela 10 1 bife pequeno 50
Germe de trigo 10 3 colheres de sopa 20
Semente de abóbora 9 1 porção 30
Semente de girassol 7 2 colheres de sopa 15
Noz pecan 7 1 porção 30
Carne de boi 7 1 bife médio 100
Lombo de boi 7 1 fatia grossa 100
Farinha de centeio 5,3 2 colheres de sopa 20
Castanha do Pará 5 1 porção 30
T – bone 5 1 porção 100
Fígado de boi 5 1 bife pequeno 50
Caranguejo 4 1 porção 50
Fígado de galinha 4 8 unidades 50
Soja fermentada 3,3 3 colheres 30
Amêndoas / nozes 3,3 1 porção 30
Lagosta 30 1 porção 10
Frango 2 1 filé médio 100

Se você está apresentando pelo menos 10 destes sintomas, provavelmente está com deficiência de zinco.

1- Humor
a – Irritabilidade
b – Agitação / Hiper atividade
c – Apatia / Letargia / Lassitude

2- S. N. C.
a – Entorpecimento mental / Insensibilidade
b – Mentalmente embotado
c – Diminuição da memória
d – Diminuição da atenção / Concentração
e – Convulsões

3- Neuro – Muscular
a – Fadiga / Cansaço

4- Pele
a – Pele seca / áspera: nas pernas, na região acima dos tornozelos
b – Acne (espinha) no rosto, costas ou nádegas
c – Dificuldade de cicatrização
d – Manchas na pele tipo eczemas
e – Erupção na pele (dermatite, urticária)

5- Cabelos
a – Aumento da queda de cabelos
b – Cabelos são retirados facilmente e sem dor
c – Cabelos secos e quebradiços
d – Cabelos finos e sem vida
e – Calvície precoce

6- Unhas
a – Unhas frágeis e quebradiças
b – Manchas brancas nas unhas

7- Boca – Garganta
a – Diminuição do paladar

8- Olhos
a – Dificuldade de enxergar à noite ou no escuro

9- Ouvido
a – Dificuldade de audição
b – Zumbido, zunido, chiado, tinido é continuo, ininterrupto

10- Nariz
a – Dificuldade de sentir cheiro / perda do olfato

11- Gastro – Intestinal
a – Falta de apetite

12- Intestino
a – Tenho diarréia sem sangue

13- Genital
a – Estou com dificuldade sexual
b – SOMENTE PARA HOMENS: Minha ereção não está como antes

14- Ginecológico
a – Atualmente estou com irregularidade menstrual

Não tome vitaminas, sais minerais ou qualquer tipo de medicamento sem receita médica.

Referências Bibliográficas: José de Felippe Junior e Váleria Cristina Paschoal – ControlSoft Nutrition 2004

Fonte – Associação Brasileira de Medicina Complementar

Comentários

comentários

Powered by Facebook Comments

Tags: , , , , , , , , , , ,



Comentários

Powered by Facebook Comments