Final do ano chegando, chega a hora de negociar a matrícula da escola

Negocie a matrícula escolar 2013

Não entre no vermelho caso não tenha planejado a matrícula 2013 no planejamento

Olá amigas(os), com a chegada do final do ano letivo, muitos pais correm às escolas a fim de conseguirem um desconto. Os pais que não incluíram o custo da matrícula escolar para 2013 no orçamento de 2012 podem ter perdido boas oportunidades de descontos que, quando não são propostos pelas próprias escolas, numa escala conforme a antecedência do pagamento, são argumento de negociação dos pais.

Quem não se programou e está sem reservas, provavelmente terá de comprometer parte do 13º. salário para negociar prazo com a escola, tentando obter ainda algum desconto. Caso essa opção também não seja mais possível, sugiro às famílias deixarem o orgulho de lado e procurarem a diretoria ou área financeira do colégio para buscar alternativas que não levem ao endividamento.

É importante ter em mente que a escola tem seus limites financeiros, contudo, não tem o mínimo interesse em perder um aluno.

Assim, você pode solicitar um desconto especial ou parcelamento no decorrer dos meses de 2013, dentro de suas possibilidades financeiras. Mas sempre se lembrando de incluir o valor das parcelas no orçamento mensal.

O correto seria ter planejado essa despesa desde o início do ano, reservando mensalmente parte do que ganha para esta finalidade.

A matrícula nada mais é do que uma parcela da anuidade ou semestralidade. Assim, quando se assina o contrato, se estabelece o valor, que normalmente é dividido em doze ou seis parcelas iguais de acordo com o regime da instituição.

Taxas de pré-matrículas também podem ser cobradas, mas estas deverão ser abatidas em valores futuros. Para essa situação não se repetir em 2014, é melhor incluir no planejamento anual 13 mensalidades escolares, para não comprometer uma das prioridades da família que é a educação dos filhos.

Situações como essas podem ser evitadas com educação financeira.

Quando escolas adotam a educação financeira em seus currículos, todos saem ganhando porque é um conhecimento com efeito em cadeia.

Crianças passam a influenciar os hábitos de consumo e controle das contas em casa; professores, ao aplicar em suas vidas o conteúdo aplicado em sala de aula, conquistam mais autonomia financeira; e as escolas se destacam por oferecem um ensino diferenciado e agregador.

Quando as atividades envolvem as famílias, a escola consegue promover uma transformação tão significativa, que traz como contrapartida menores índices de inadimplência.

É cada vez maior a preocupação de governos em vários países do mundo em tornar a população apta para tomar decisões de consumo de forma consciente e responsável.

A escola pode ter um papel importante na formação de alunos-cidadãos, autônomos, com visão crítica e capazes de assimilar, desde cedo, a importância do equilíbrio financeiro para o bem estar individual e social.

Vá até a escola de seus filhos e negocie, afinal a escola também não tem interesse em perder alunos.

Beijos e até a próxima!

Comentários

comentários

Powered by Facebook Comments

Tags: , , , , , , , , , , ,



Comentários

Powered by Facebook Comments