Diga não ao trabalho infantil, acredite, É DA NOSSA CONTA

É DA NOSSA CONTA! CLIQUE E VEJA O RECADO DA DANIELA MERCURY

Olá amigas(os), ontem tive o super privilégio de acompanhar o lançamento da campanha É DA NOSSA CONTA! Da Fundação Telefonica.

Sempre achei que fosse DA NOSSA CONTA, mas até então não sabia como eu poderia ajudar e mudar a situação das crianças na lavoura ou dos faróis vendendo bala.

A proposta da rede Pró-menino busca ampliar número de pessoas envolvidas e expandir a discussão para além dos que já trabalham na área.

No Brasil, a Constituição proíbe qualquer tipo de trabalho a menores de 16 anos (exceto a partir de 14 anos, como aprendizes).

A Comissão Nacional de Erradicação do Trabalho Infantil, coordenada pelo Ministério do Trabalho, prepara um anteprojeto para adequar a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT, Decreto-Lei 5.452/43) à legislação em vigor que proíbe o trabalho infantil no País.

Segundo o estudo, os adolescentes que dividem seu tempo entre a escola, a formação para a vida profissional e o trabalho aprendiz ou estágio podem apresentar queda no desempenho escolar, perda ou ganho excessivo de peso, sonolência e diminuição da capacidade de manter a atenção.

Estou cansada de ver adolescentes em buffet infantil, fazendo animação como monitores. O que sempre me preocupou, é como esses jovens voltariam pra casa ao final de uma festa, que se for a noite, termina a meia noite, certamente eles vão pegar um ônibus, colocando-se em situação de risco. Posso “ pagar a língua”, mas não acredito que esses monitores estejam devidamente regularizados como aprendiz e que no final do expediente haverá uma van do Buffet para levar esses adolescentes pra casa.

O que podemos fazer em relação a isso? Antes de contratar o serviço, averiguar a situação dos monitores, assim perceberemos a seriedade e respeito que a empresa tem pelos seus contratados. Como comentei no outro post, quando nos tornamos pais, melhoramos como seres humanos.

E como somos referencia para pessoas tão importantes em nossa vida, precisamos fazer o que é certo. Dá mais trabalho? Certamente, mas só assim estaremos construindo um mundo melhor e deixando um legado de valor a nossos filhos.

O trabalho artístico de crianças e adolescentes é outro ponto a considerar, embora seja cada vez mais comum, muitas vezes, as crianças fazem esse trabalho muito mais para suprir o ego dos pais que por opção mesmo, não tem nenhuma regulamentação no Brasil e expõe os menores a jornadas longas e desgastantes, aponta pesquisa da Faculdade de Saúde Pública (FSP) da USP.
Conheça melhor o projeto no site www.promenino.org.br, compartilhe os vídeos, comente, curta e aprenda o que fazer quando ver uma criança trabalhando.

Mesmo com todas as constatações a partir dos relatos das crianças que trabalham, é um assunto muito complexo ainda, pois é comum ouvirmos frases como, “ é melhor estar trabalhando que estar na rua”, “ precisa trabalhar para ajudar na despesa da casa”, enfim, como podemos averiguar o ônus dessa ajuda nessa fase da vida é grande, pois priva esse adolescente ou criança de brincar, ler, passear, estudar e viver experiências próprias da idade. Tudo tem a sua hora na vida, e trabalhar será inevitável, como todos nós sabemos.

A meu ver, essa seria uma das formas de diminuir a desigualdade social em nosso país. Afinal, não há como sonhar com uma nação próspera e desenvolvida se os direitos humanos da criança não forem respeitados. Faça a sua parte.

Não compre de empresas que utilizam mão de obra infantil, denuncie a presença de exploração do trabalho infantil, questione, agora temos um canal de comunicação para “ botar o boca no mundo”. Não precisamos mais ver essas crianças no farol e simplesmente acharmos normal, por acharmos ser apenas um grão de areia nesse oceano. Unidos conseguiremos mudar essa situação.

Se queremos mudanças efetivas no comportamento e postura de nosso povo, temos que unir nossas forças e mudar nosso comportamento.
Conto com a participação de vocês.

Beijos e até a próxima! É DA NOSSA CONTA! #semtrabalhoinfantil

Comentários

comentários

Powered by Facebook Comments

Tags: , , , , , , , , , , ,



Comentários

Powered by Facebook Comments