A iluminação correta da casa influi na qualidade da saúde de sua família

Nem sempre damos importância a isso quando adquirimos um imóvel, mas a iluminação e incidência de sol em sua casa, pode de fato fazer a diferença na saúde de sua família.

Foi comprovado que em lares cuja incidência de sol é maior, a incidência de quadros alérgicos, resfriados e gripes é menor. Isso porque o Sol assusta os ácaros, não favorece o aparecimento de fungos e bactérias.

Uma casa com muita luz natural tem muito mais valor, pois lhe confere níveis de conforto e bem-estar preciosos. Saiba como tirar o melhor proveito das diferentes divisões da casa, considerando o equilíbrio perfeito entre luz e cor.

Mas se você mora num apartamento, com vários prédios colados, e quase não bate Sol em seu apartamento, as cores da decoração podem ajudar a aquecê-lo.

O branco é a cor que melhor reflete a luz natural num quarto, no entanto, também as cores fortes podem enaltecer as qualidades luminosas da luz do dia.

Uma divisão com janelas ou com clarabóias, apenas requer luz artificial a partir da noite. No entanto, como a sua iluminação natural será projetada em tons azulados, opte por decorar com cores e iluminação artificial mais calorosa.

As divisões que recebem forte luz solar da parta da tarde (nomeadamente aquelas com janelas voltadas para oeste ou sudoeste) pedem persianas ou cortinas para proteger mobílias, carpetes, tapetes e outros objetos delicados.

Com tanta luz natural, estes ambientes devem fugir de tons como vermelho, amarelo ou laranja para não “sobreaquecer” o ambiente. Por isso mesmo, também a iluminação deve ser menos potente.

Os quartos voltados para norte são aqueles que recebem menos luz natural e, conseqüentemente, menos sol. Como são divisões mais frescas, a iluminação e as cores quentes são as ideais para conseguir uma decoração mais aconchegante.

Nas divisões com janelas viradas para sul, luz natural é coisa que não falta ao longo de todo o ano. Banhados com uma luminosidade extremamente pura, quase todos os estilos decorativos beneficiam este tipo de quarto, que requer uma iluminação mais fresca.

A iluminação elétrica como a conhecemos hoje está dividida em duas opções: as lâmpadas incandescentes que, emitindo uma luz quente em todas as direções, são utilizadas para a iluminação em geral; e as lâmpadas fluorescentes que, emitindo uma luz fria, difusa e sem sombras, são utilizadas em locais de atividade mais intensa.

As lâmpadas incandescentes consomem mais energia e acabam por ser mais caras do que as fluorescentes, uma vez que estas duram até 20 vezes mais que as primeiras.

Devido ao tipo de luz que projetam, não é aconselhado colocar lâmpadas fluorescentes nas zonas mais íntimas da casa, apenas nas denominadas áreas de trabalho. Para as zonas de descanso, prefira as lâmpadas incandescentes.

As divisões com muito sol beneficiam com a colocação de lâmpadas alógenas que são mais frescas e claras do que as incandescentes, mas mais aconchegantes do que as fluorescentes.

As lâmpadas de tons frescos são perfeitas para uma iluminação forte, sendo que o contrário também é verdade – as lâmpadas de tons quentes beneficiam ambientes com uma iluminação reduzida. A iluminação de espectro total (lâmpadas fluorescente especiais que simulam a luz do sol) é a ideal para casas que têm pouca luz natural e é a que melhor define as cores presentes na decoração.

O tipo errado de luz artificial pode transformar estudantes em pessoas irritadiças na escola, reduzir a produção entre trabalhadores de uma fábrica e tornar trabalhadores de escritórios preguiçosos.

A insuficiência de luz correta pode interferir com a absorção de cálcio nos idosos e contribuir para o enfraquecimento dos ossos, comprova estudos científicos.

Do lado positivo, a luz artificial pode ser usada para controlar a icterícia (usando as chamadas “billy lights”, UV), nos recém nascidos.

Ela também pode aumentar a produção de carne bovina; o gado que passa por “dias mais longos” debaixo de uma luz artificial correta é de 10 a 15% mais pesados, sem aumento no consumo de comida.

Cada ambiente necessita de uma lâmpada especial para iluminar a decoração. Veja algumas orientações para escolher a lâmpada certa:

– Cozinha
Use uma lâmpada comum ou fluorescente (que é semelhante à luz do dia), instalando um ponto central de iluminação e, se necessário, reforçando a iluminação de bancadas de trabalho, principalmente as que ficam embaixo dos armários embutidos.

– Banheiro
Use uma iluminação simétrica nos dois lados do espelho com lâmpadas fluorescentes ou comuns. Elas devem estar protegidas do vapor.

– Sala de estar
Ilumine os cantos e use luz direcionada para quadros, plantas ou mesas de centro. As lâmpadas podem ser alógenas, incandescentes ou outras. Tudo depende do efeito que você pretende criar no ambiente.

– Sala de jantar
Procure usar lustres ou pendentes sobre a mesa de refeições. Para isso, você pode optar por lâmpadas refletoras, que permitem uma iluminação mais precisa e direcionada.

– Dormitórios
É interessante usar uma iluminação direta para leitura e, ao lado da cama, você pode colocar abajures. Para esses ambientes, geralmente são usadas lâmpadas comuns.

Harmonize a iluminação de sua casa de acordo com as necessidades da casa, e reduza a freqüência de visitas à farmácia.

Beijos e até a próxima!

 

Comentários

comentários

Powered by Facebook Comments

Tags: , , , , , , , , , , , , ,



Comentários

Powered by Facebook Comments