Calvície e transplante capilar, confira as informações

Calvície e o transplante capilar

Calvície e o transplante capilar

Olá amigas(os) hoje abordaremos esse tema recorrente aqui no blog, afinal, acessórios, produtos inadequados, penteados, tinturas e escovas, entre muitas outras agressões e, até mesmo, “loucuras”, como passar maionese para dar brilho aos fios são feitos em nome da beleza e cuidados com os cabelos.

A atenção e preocupação com os cabelos cresce ainda mais quando achamos que os cabelos estão caindo demais e se teme a calvície, um dos problemas mais sérios – e mais comuns – enfrentado por aqueles que sofrem com a queda de cabelo e, que geralmente é causada por fatores genéticos e que pode ser agravada por fatores externos, como estresse, má alimentação, entre outros.

Quando os fios começam a cair ou surgem as famosas “entradas” na região frontal do couro cabeludo, chega também a preocupação: será que corro o risco de ficar com falhas ou careca?  Existem inúmeros fatores que precisam ser analisados antes de responder a essa questão. Mas, quando a pessoa fica calva a melhor saída para ter novamente os fios é fazer o transplante capilar. Este procedimento é muito questionado pelos pacientes, porque envolve mitos e verdades sobre o assunto.

Cada indivíduo tem uma determinada velocidade de crescimento dos fios, algo como 1 a 1,5 cm/mês. Mas em alguns, ela é menor, especialmente em pessoas que tem cabelos finos. Também a duração total da fase de crescimento influi, variando de dois a cinco anos, sendo que nos casos em que a duração é menor, o comprimento total do cabelo será também menor. Quando a pessoa, em função de suas características individuais, combina um crescimento lento com um ciclo curto teremos um quadro de cabelos que não passam dos ombros.

Na maioria dos casos, o problema não é hormonal. Pode haver muitas vezes uma influência hormonal apenas, mas dentro da normalidade. A queda de cabelo deve ser vista como um sintoma e não uma doença em si. Portanto, devemos investigar outras possíveis causas, como deficiências nutricionais, muito freqüente nas mulheres. A calvície masculina é basicamente determinada pela genética em combinação com os hormônios masculinos, embora existam outros fatores que influenciam como estresse, nutrição e inflamações no couro cabeludo. O melhor é investigar caso a caso para ter certeza da causa e poder dar um tratamento especifico.

Ter uma alimentação saudável, bem como usar suplementos alimentares pode ser um importante coadjuvante no tratamento capilar. Não necessariamente resolvendo a causa básica da queda ou da calvície, mas pode contribuir muito para o tratamento, sempre com orientação médica. Além disso, na busca pela saúde e por um corpo perfeito, os exercícios físicos aumentam em muito o consumo dos micronutrientes, oligoelementos e proteínas de alto valor biológico, ricas em aminoácidos essenciais para a beleza e saúde dos cabelos. Músculos ávidos por nutrientes podem competir com o cabelo, desestabilizando esse delicado equilíbrio. Trata-se de uma situação que merece suplementação e mais atenção na dieta. A base da alimentação saudável são verduras, legumes, muita fruta, cereais integrais, soja e peixe, além de muito líquido, como água, sucos e chá verde.

Pacientes jovens são casos que merecem uma atenção especial no caso de transplante capilar. Pois quanto maior for a tendência genética à calvície, mais precoce e mais extenso será o processo. Apesar do imediatismo dos jovens, deve-se evitar fazer transplante antes dos 23 anos, quando começa a ser possível estimar a extensão da calvície.  Outro motivo é que nessa fase a pessoa tem maturidade para entender o alcance do transplante e aceitar um padrão adulto, com um pouco de entradas e não tão baixo assim. Deve-se evitar aquele cabelo da época da adolescência, pois um cabelo natural aos 18 anos pode parecer esquisito aos 40 ou 50 anos.

O tratamento capilar medicamentoso (tratamento clínico) tem como objetivo manter ou ao menos reduzir a queda dos cabelos, mas não faz nascer cabelos em áreas já afetadas pela calvície. A restauração capilar via transplante é que tem como intuito restaurar os cabelos da área calva. Colocando novos fios, o cabelo crescerá normalmente, cobrindo a região. É importante salientar que o transplante não previne a queda do cabelo, apenas repõe o que já caiu.

Hoje em dia, as duas principais técnicas consagradas e que apresentam resultados mais naturais são FUE (Follicular Unit Extraction – Extração da Unidade Folicular) e FUT (Follicular Unit Transplantation – Transplante da Unidade Folicular). Estas se diferenciam pela técnica de retirada das unidades foliculares. Ambas possuem a mesma forma de implantação, proporcionando efeitos totalmente naturais.

Sempre é possível ter uma grande melhora no aspecto, mesmo tendo feito um transplante anterior. Mas, a abordagem corretiva varia de caso a caso.

Agora é cuidar dos cabelos, antes que eles no dêem adeus, vejo tanta gente fazer verdadeiras loucuras, agressões intensas, sem sequer cogitar a possibilidade de ficar sem os cabelos.

Beijos e até a próxima!

 

Comentários

comentários

Powered by Facebook Comments

Tags: , , , , , , , ,



Comentários

Powered by Facebook Comments